"Não importa para onde vamos ou de onde voltamos. O que importa são as experiências únicas e os cenários surpreendentes com que nos deparamos. Viajamos em busca do que a vida pode nos revelar, num verdadeiro banquete de sabores, cores e sons."
E confesso: não tem graça nenhuma viajar e não contar para alguém, mostrar as fotos, compartilhar....
Voltar para casa também é uma experiência maravilhosa que só podemos sentir quando viajamos.


Várias fotos que ilustram as postagens são retiradas da Net.

Cidade de São Paulo – SP 2010


NOVEMBRO 2010 
Bom Retiro–São Paulo
São 1.200 lojas espalhadas por cerca de 10 ruas que concentram o comércio da moda no Bom Retiro. 40.000 coreanos moram, trabalham e são os donos de dois terços das lojas e fábricas de roupas .
 
[vitrine-bom-retiro-5.jpg]
Bom Retiro já era sinônimo de moda barata na cidade. Com o passar dos anos, foi se sofisticando e hoje mistura vestimentas de todos os tipos, inclusive aquelas que se encontram nos shoppings a preços mais altos do que lá .
Andamos, andamos e não conseguimos comprar nada.
A mais famosa das ruas é a José Paulino. Foi a primeira a abrir as portas para não lojistas. Silva Pinto e Ribeiro de Lima também vendem no varejo.
Nas Ruas Aimorés, dos Italianos e Professor Cesare Lombroso, praticamente todas as lojas vendem só por atacado e exigem CNPJ. Marcas como: Globe Seiki , (clique e veja)

Amissima, (clique e veja)

conhecidas e vendidas por lojistas da minha cidade.
Mas mesmo nas que vendem para o consumidor comum, apenas 30% têm provadores. Quem não tem corpo de manequim já sabe: vai de legging e camiseta justa para provar a roupa 'por cima'. Outra opção é levar peças para comparar o tamanho. Se a dúvida persistir, a saída é correr o risco e comprar a roupa.

A regra é pesquisar preços e ter paciência para revirar araras e mais araras. Tem que andar bastante para ter a garantia de pagar mais barato.
No varejo, não se iluda. O preço é semelhante ao dos shoppings. O tempo das peças baratas ficou para trás. Bom Retiro
Para nós, que vestimos acima do número 42, não vale a pena ir ao Bom Retiro. Lá a moda agora é P, M. G. que veste manequins de 36 a 42 e sem provadores. Não tem como comprar. Nós sobramos nessa. Comprem  em sua cidade mesmo, procure uma confecção que tenha uma boa modelagem e prestigie a prata da casa.
Falando em compras, fui conhecer a Shoestock, em Moema e não achei vantagem, nem nos modelos, nem nos preços.
  Terraço Itália–São Paulo
 Ficheiro:Edifcio Itlia, SP.jpg
Projetado por A. Franz Heep no início da década de 60 e inaugurado em 1965, o Edifício Itália é considerado um dos marcos da arquitetura brasileira. Com 165 metros de altura distribuídos entre os 46 pavimentos, servido por 19 elevadores atendendo aos andares de escritório, uma galeria com lojas e sobrelojas, Teatro e particularmente um "maravilhoso" terraço na cobertura do Edifício. Em 29 de setembro de 1967, foi inaugurado o Restaurante de onde se revela a mais bela vista panorâmica da grande metrópole paulistana.

So Paulo 2010-11-20 134

Subir os 46 pavimentos do Terraço Itália – 20,00 reais.
Presenciar a falta de educação da Hostess do Terraço – Não tem preço.
http://www.terracoitalia.com.br/index.asp

Catavento–São Paulo
As instalações do Catavento estão divididas em 4 seções. Uma sobre o Universo, do espaço sideral à Terra. A segunda, a Vida, do primeiro ser vivo até o homem. Segue-se o Engenho, as criações do homem dentro da ciência. E a Sociedade, que mostra os problemas da convivência organizada do homem.

So Paulo 2010-11-20 112

FECHADO SEGUNDA-FEIRA
ABERTO: 9h às 17h - ENTRADA ATÉ 16h
ENTRADA: R$ 6

O Catavento está situado no Palácio das Indústrias, antiga sede da Prefeitura, no Parque D. Pedro II, no centro da cidade de São Paulo, entre a Av. do Estado e a Av. Mercúrio, em frente à Casa das Retortas e próximo ao Mercado Municipal.

So Paulo 2010-11-20 092

Engenhocas

So Paulo 2010-11-20 097So Paulo 2010-11-20 099

Quente e frio Bolha de Sabão

So Paulo 2010-11-20 120

Saíndo do Catavento
http://www.cataventocultural.org.br/listainst.asp#

Bacalhau–Mercado Municipal–São Paulo
No domingo pela manhã, deixamos de lado a visita a Bienal de Artes e fomos ao Mercado Municipal para comprar Bacalhau.
Todos os Boxes que vendem Bacalhau mostravam o COD Gadus Macrocephalus, sendo vendido em torno de 40,00 reais o quilo. Aqui em minha cidade está custando 70,00 o quilo. Mas eu procurava outro Bacalhau, porque eu já havia comprado este como o Legítimo e quando fiz a Bacalhoada pensei que havia alguma coisa errada. Nunca comi isopor, mas o Bacalhau tinha gosto e jeito de isopor.

cim_25_660y

O Bacalhau da foto é o COD Gadus Macrocephalus, ou Bacalhau do Pacífico, muito semelhante em aspecto com o Cod Gadus Morhua. Seu habitat é o Pacífico Norte.
É um peixe claro e tem sido vendido em muitos pontos de venda, devido à semelhança, como sendo Legítimo Porto. Não é fácil diferenciar um do outro: o macro é um peixe bem mais claro (quase branco) que o Legítimo Porto. Na falta do Gadus Mohua prefiro o Saithe mais escuro e de sabor mais forte. Ele é infinitamente mais barato, porém muito saboroso. 
Partimos então para a procura do LEGÍTIMO BACALHAU:
”O Cod Gadus Morhua é o Legítimo Bacalhau. É pescado no Atlântico Norte e considerado o mais nobre tipo de bacalhau. Tem coloração palha e uniforme quando salgado e seco; quando cozido, desfaz-se em lascas claras e tenras, de sabor inconfundível e sublime. É o bacalhau recomendado em todos os pratos da cozinha internacional.”

Em nenhum dos boxes do Mercado você encontra o Mohua cortado. Ele é vendido inteiro, (sem a cabeça) a 55,00 reais o quilo. Uma peça em torno de 5 quilos, perde mais ou menos 800 gramas de pele, rabo e barbatanas e você extrai quase 3 quilos de filés. As laterais, as partes com espinho, chegam a 1 quilo e 200 gramas mais ou menos. No final, calcule 65,00 reais o quilo, limpo e cortado. O vendedor limpa e embala o Bacalhau delicioso que a gente comia na infância, simplesmente porque não existia outro. 

Bacalhoada  Dona Irene
 

Cantina Lazarella–São Paulo
So Paulo 2010-11-19 006

So Paulo 2010-11-19 001

A proposta inicial era irmos jantar no Brooklyn Restaurante, onde tem os garçons cantores, mas desistimos depois que nos informaram que o couvert artístico e o jantar ficariam em torno de 120 reais por pessoa. Sugeri, então a Cantina Lazarella, na Rua Treze de Maio. Indicaram-me como um local simples, preço razoável e que era um lugar divertidíssimo, para quem gosta de fuzarca: música italiana ao vivo, sirenes e até um galo que canta de vez em quando. Mas não teve sirene nem tarantela, o galo estava meio rouco, e algumas das pessoas que foram seguindo minha sugestão; de-tes-ta-ram.

So Paulo 2010-11-19 007

Minha massa com molho de camarão estava perfeita!
Lição do dia: Não indique restaurante prá ninguém!


Mamma Mia! - São Paulo


A Magnus Turismo organizou e nós fomos. O principal motivo foi o Musical Mamma Mia!
O musical está em cartaz no Teatro Abril. O espetáculo que tem 11 anos de existência e já esteve em mais de 200 cidades de todo o mundo chegou ao Brasil para encantar a todos com clássicos da banda Sueca Abba.
A história do musical ocorre numa ilha grega e se baseia na vida de numa garota, às vésperas de seu casamento, que está em busca de seu pai. A partir daí, ela decide convidar três homens que fizeram parte da vida amorosa de sua mãe, para enfim descobrir quem é o seu verdadeiro pai.
As 23 músicas do Abba apresentadas em Mamma Mia!, que leva ao palco um elenco de 32 atores e uma orquestra de dez músicos, foram traduzidas para o português por Claudio Botelho.
Uma apresentação marcada por muita emoção e muita música, com hits como “Dancing Queen”; “The Winner Takes It All”; “Money, Money, Money”.
No final do espetáculo, é apresentado um pot-pourri com três canções no original, em inglês.


www.musicalmammamia.com.br 
19 a 21 de novembro 2010 – Terezinha Fonseca e eu
Algumas fotos Google Imagens